Carta a Pedro de Valdívia

Rio de Janeiro, 02 de junho de 2012.

Grande Pedro!

Seguinte: estive lá naquele povoado que você fundou há quase quinhentos anos.  Rapaz, a parada cresceu muito, ficou maneira, engrenada.  Você não iria reconhecer, aposto.  Ficou bacana mesmo.  Não é um primor, mas para um lugar bem pertinho do fim do mundo, tenho que dar o braço a torcer: é bem mais do que você mesmo imaginava.

Até porque, até onde pude constatar (só você mesmo vai poder me confirmar isso ou desmentir), sua intenção não era exatamente dar início a um grande povoado da região.  Você estava mesmo atrás de outras coisas, como ouro e prata – coisas que o seu desafeto e chefe Antônio Pizarro já havia encontrado mais para o norte.

Eu nem me interessei por ir ali naquele morro onde você deu início à cidade.  Nem nele nem no pé dele, onde eu soube que há uma pracinha que marca o “ponto zero” da cidade.  Certa vez vi um programa de televisão, desses de viagens, feitos por e para norteamericanos, exibidos em canais pagos – acho que você não faz ideia do que eu estou falando, porque isso não é do seu tempo – que dizia que há uns sujeitos fantasiados de índios fazendo celebrações ancestrais, coisas que você deve ter visto ao vivo.  Acho que é puro charlatanismo, por isso mesmo nem passei perto.

E choveu uns dias por lá…  Não sei se você chegou a pegar tanta chuva como eu peguei.  Nada que mudasse muito aquela mixórdia de água daquele rio que você usou como base para o abastecimento de água do povoado.  Em outras áreas, mais afastadas, porém, o negócio ficou feio.  A água subiu e muita gente ficou na pior.  Mas quando o sol abriu, o céu ficou azul e a água baixou, fez um frio danado e os dias ficaram lindos.  Uma beleza mesmo!  Você iria gostar de ver.

O resto eu conto depois, um pouquinho por pouquinho.  Assim a gente vai mantendo contato.  Te cuida!

Leandro.

Anúncios

One Comment

Add yours →

  1. O lance dos índios é muito tosco! Parecem aqueles bolivianos que fazem playback de flauta por aqui.

    Imaginei que eram peruanos, não bolivianos.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: