O Cachambi responde – fora do mercado

Questão de alta indagação enviada esta semana para esta coluna – que acabou afetada semana passada pela conjugação do binômio “falta de perguntas dos leitores” + “falta de tempo do autor”.  Muito interessante, de utilidade pública e cuja resposta comporta várias teorias.  Melhor assim, vai dar o que falar.

Por que as pessoas engordam depois que casam?

A teoria que eu julgo mais convincente para responder esta pergunta é a teoria do mercado.  Quando a pessoa casa, psicologicamente ela se retira do mercado afetivo e, por isso, tende a gastar menos tempo cuidando do corpo e mais tempo com outros afazeres, tais como trabalhar, cuidar da casa, cuidar do parceiro, dos filhos…  É uma tendência natural.  Além disso, aquela dieta especial e o esforço redobrado para manter a boa forma física também fica prejudicada, com comidas prontas congeladas, que podem ser consumidas a qualquer momento sem o esforço monumental de ir à cozinha gastar um tempão para preparar algo que será consumido em questão de minutos.  Isso também faz parte do processo de acomodação pós-saída do mercado.  Essa teoria tanto é verdadeira que, em muitos casos, após uma separação, ambos conseguem se dedicar a ponto de trazer o corpo para a boa e velha forma física (às vezes, mais raro, até melhor que antes).  No entanto, existem exceções: pessoas que engordam tanto após o casamento que passam do ponto de reversibilidade, mesmo quando incentivadas pela precipitação da volta ao mercado.

* Você tem uma dúvida, quer fazer uma pergunta? Mande-a clicando aqui, que O Cachambi responde. A pergunta a ser respondida semana que vem pode ser a sua.

Anúncios

5 Comments

Add yours →

  1. Eu emagreci loucamente depois do casamento

    Exceção que só serve para confirmar a regra.
    E, convenhamos, não foi o casamento que te fez emagrecer…

  2. Eu concordo com a explicação, isso aconteceu durante e depois de um namoro mais extenso. Mas, desde que casei, eu não engordei.

    Namoro extenso = casamento.
    Você é regra.

  3. É aí que mora o “perigo”.
    As pessoas se casam e RELAXAM.
    Relaxam com a aparência, com o comportamento, com a afetividade, com tudo.
    Penso até que o grande mal de uma união é o “excesso de intimidade”.
    Intimidade essa onde as pessoas pensam que por terem a chamada intimidade, podem tudo.
    O respeito, o cuidado, a preocupação, o carinho e o glamour da época da conquista tem que existir sempre.

    Vou selecionar melhor a próxima pergunta.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: