Serra Pelada

Cartaz do filme
Cartaz do filme

O filme tem Wagner Moura no elenco.  Precisa dizer mais?  Precisa.  Porque, ao contrário do que nós nos acostumamos a ver, ele desempenha um papel totalmente secundário na trama.  Parece que compromissos profissionais impediram-no de ocupar um dos papéis centrais.  E daí?  Ele também é produtor do filme.  E, tal como Midas e os garimpeiros de Serra Pelada, tudo que sai de suas mãos reluz como ouro que é.  Com Serra Pelada não é diferente.

A história de Serra Pelada é algo que ficou para trás na minha memória e na memória do Brasil.  Aquelas cenas clássicas de milhares de homens se acotovelando em escadas, garimpando ouro num confim qualquer do Pará, de repente desapareceram da mídia.  Há trinta anos não se fala mais em Serra Pelada no grande circuito da mídia nacional.  Mas os problemas lá estão longe de acabar – são apenas poeiras que insistem em não se acomodar debaixo do tapete verde e amarelo.  Problemas sérios que começaram lá atrás, quando valia tudo numa terra sem lei.  É essa história que o filme conta.  Como tudo começou.

E conta tudo sob o ponto de vista de dois amigos que foram para lá tentar a sorte.  Acharam-na, mas acharam também a realidade.  Tráfico, droga, prostituição, violência, doença, trabalho escravo, morte, traição…  Tudo de ruim que saiu da Caixa de Pandora esteve presente na Serra Pelada – segundo o filme, a maior concentração de trabalho manual desde a construção das Pirâmides do Egito.

E que trabalho magnífico, retratar tudo isso num único filme.  Com atuações impecáveis, tiradas de bom humor na dose certa, cenários ótimos e muita sensibilidade no roteiro para narrar um drama social brasileiro, uma cicatriz na nossa história – que ainda está aberta – e chamar a atenção do Brasil, novamente, para isso.  Um faroeste caboclo de verdade.  Um filme que vale muito a pena ser visto em tela grande, concentrado, sem barulho de pipoca nem amasso na poltrona ao lado.

Anúncios

2 Comments

Add yours →

  1. Tava tendo amasso na poltrona do lado? E você ali, segurando vela? Mas que sem vergonha!

    Nesse filme não.

  2. Boa dica! Então vou assistir, mas na sala mesmo, sem pipoca e definitivamente sem amassos do lado 😉

    Isso: preste atenção na tela. Depois a diversão.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: