Como será o amanhã?

Há uma semana a minha caixa de entrada foi inundada com zilhão de atualizações do Eneaotil.  Para quem não conhece, o Eneaotil é um blog escrito pela Leonor Macedo (quem lê essa frase acha que eu a conheço e tenho a maior intimidade), quase todo sobre histórias (fascinantes e engraçadíssimas!) do seu filho Lucas.  Histórias nas quais eu me espelho e que eu espero escrever sobre a Felícia e do Fergus.  Foram essas histórias – e outras semelhantes – que me motivaram a narrar aqui os relatos da vida deles.

Pelo que entendi, a inundação é decorrência da republicação de histórias remotas do Lucas, que ela tinha guardadas em algum lugar.  Uma espécie de “O Cachambi era aqui!“.  Ainda não li todas.  Estou enrolando.  Sabe aquela sensação de livro bom, que você evita ler para não acabar?  É isso.

Um dos posts, porém, me chamou a atenção demais.  Não lembro agora qual foi, para fazer o link aqui.  Perdoem-me.  O fato é que no tal post, a Leonor falava da relação do Lucas com o blog.  Ele, já sabendo ler e escrever, sabia da existência do blog e que a mãe contava suas piores (e melhores também) histórias ali.  Mais que isso: sabia que milhares de pessoas também o liam – inclusiva algumas que, no dia seguinte, olhariam para a sua cara na escola, na rua, nas festinhas de família.

E eu fiquei me perguntando: como será  a relação da Felícia com o blog no dia que ela descobrir que o blog existe?  Vai ficar curiosa?  Vai ficar orgulhosa?  Vai ficar com raiva?  Vai ficar com vergonha?  Vai rir?  Vai chorar?  Como ela vai se comportar sabendo que qualquer deslize poderá virar uma história – nem sempre tão fidedigna à realidade?  Vai comentar, vai responder?  Ou não vai estar nem aí para o blog?

Anúncios

4 Comments

Add yours →

  1. Taí, é uma ótima pergunta. Como será?

    Provavelmente você vai saber me dizer antes de eu descobrir.

  2. Eu não sei… mas me colocando no lugar dela. E olha que sou chata… e vc sabe disso! (menina tem coisa com “que mico, pai!” ou medo do tal bulling) Entao, eu no lugar dela, na infancia acho q ia achar engraçado… na pré-adolescencia e na adolescencia ia ficar com muita raiva, ia ameacar fugir de casa e me esconder atras do carro no estacionamento esperando q minha mae realmente acreditasse q eu fosse fugir e se arrependesse de ficar publicando essas coisas… E depois da adolescencia, dos 18 anos, ia gostar de ver minha vida contada tao detalhadamente e perpetuada (quem nao gostaria de saber de TODAS as historias engracadas da sua vida, expectativa dos seus pais em relacao a suaa chegada, o amor deles pelos pequenos avanços durante os primeiros anos de vida…). Na vida adulta ia sentir um super orgulho, ia mandar encadernar tudo e deixaria pra sempre na mesa de centro da minha casa para todos folhearem e morrerem de inveja quando fossem me visitar!

    É um ponto de vista…

  3. Irmã expressou meus pensamentos…

    Ler você escrever que concorda com a minha irmã me dá medo.

  4. Concordo que foi a 1@ vez…

    O problema não é ser a primeira nem a última.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: