Mudanças à vista

Depois de quase um ano, hoje eu finalmente tomei coragem de contar ao padre que a Felícia não será sua coroinha.

– Cadê a baixinha?
– Ficou em casa dormindo.
– Tudo bem, não tem problema.  Traz ela na semana que vem.
– Padre, eu preciso contar uma coisa ao senhor.  Eu vou me mudar.
– Mas mudar para onde?  Para longe daqui?
– Para outro bairro, padre.  Outra paróquia.
– Sério?  Poxa…
– Sério.  Há um ano, mais ou menos, nós compramos um apartamento.  Nesse tempo, fizemos obra nele e agora chegou a hora de mudar.  Eu vou continuar vindo aqui de vez em quando, porque a vovó vai continuar morando aqui perto e, vez por outra, eu virei à missa com ela.

Ele deu um sorriso, o mesmo sorriso que eu já lhe dera algumas vezes.  Um sorriso à contragosto, de quem sorri por fora mas está triste por dentro; um sorriso de quem quer se mostrar feliz pelo outro mais do que triste por si.  Desejou-me sorte, deu-me um abraço, e se despediu.

Vai ser difícil a missa da semana que vem.  A última de um ciclo de mais de vinte e cinco anos.

Anúncios

2 Comments

Add yours →

  1. Meu comentário vai ser um drops de autoajuda, mas paciência: geralmente é difícil digerir mudanças, afinal, é o rompimento da nossa zona de conforto, e isso é sempre incômodo. Mas quando elas representam coisas boas não é legal ficarmos pensando no que vamos deixar, bom mesmo é curtir as novidades. Nao fiquem assim.

    Eu não estou assim. Quem ficou assim foi o padre.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: