O diabo na terra do sol

– Eu tenho certeza que é o diabo que mete a mão dentro do capô do carro e faz isso.

A volta do feriado na Região dos Lagos não é para qualquer um.  É só para os mais fracos, aqueles que precisam voltar, para trabalhar ou qualquer outra finalidade, passadas as festividades.  Por isso, depois de horas num anda-e-para sem fim (ok, não foram horas, mas certamente foi mais de uma hora), quando ultrapassamos aquele carro que, parado na pista, por falta de acostamento, causava quilômetros de congestionamento, eu ri daquela afirmativa.

Ri porque ela foi dita com a sinceridade de quem realmente acredita no que está falando e com a veemência de quem tem a raiva no coração quando blasfema contra a sorte alheia.  E ri porque, no fundo no fundo, ela tinha um pouco de razão.  Só um pouco, mas tinha.

Acho que o diabo tem mais o que fazer com as próprias mãos do que enfiá-las dentro do capô dos carros velhos, geralmente emplacados nos municípios da baixada fluminense, que insistem em trafegar pelas estradas mais sensíveis durante os dias mais movimentados.  Mas não duvido que nisso haja um quê de sorte ou azar – o que ela convencionou chamar da presença do diabo.

Aquelas pessoas, mesmo tendo carros velhos, não licenciados, não vistoriados, sem extintores ABC, pneus carecas e vidros abertos, por falta de ar condicionado, também têm o direito de se divertir, viajar, espairecer, inclusive naqueles dias de maior movimento nas estradas.  E mesmo os que têm carros novos e em bom estado de conservação também estão sujeitos ao infortúnio – com chances bem menores, é verdade, mas não deixam de estar sujeitas a ele.

Só acho que, mais que um padre, é preciso um bom mecânico para resolver um problema.  E, principalmente, independentemente da natureza do problema, sempre é possível empurrar o carro para um canto e liberar a pista, ao invés de estender a própria desgraça à vida de todas as outras pessoas que já gozam da desgraça de ter que compartilhar o mesmo último dia do feriado na viagem de volta para casa porque têm que trabalhar no dia seguinte.

Anúncios

One Comment

Add yours →

  1. Ninguém merece uma barbaridade dessas, um horror desses…

    Nem mesmo o pobre do diabo.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: