O topete

Não era exatamente assim, era um pouco pior
Não era exatamente assim, era um pouco pior

– Que cabelo é esse?
– Fiz um topete nele.  A gente não vai na casa do Tio Roni?  Fiz um topete nele para figar igual ao Tio Roni.

Há brigas que não valem a pena.  Fiona é mestra nessas ponderações e, por isso, não se apoquentou com aquele penteado ridículo que eu havia feito no Fergus.  Já estávamos atrasados.

– Anda, bota logo o Galoto no bebê-conforto e vamos embora.

*****

– Oi gente!  Tudo bem?
– Deixa eu falar com essa graci…  Gente, olha só esse penteado!!!  Quem fez isso?
– Eu – acusei-me, com o sorriso misto de quem faz uma peripécia incrível e de satisfação por um êxito improvável.  De fato, aquele cabelo era exatamente isso: fazer um penteado, qualquer que fosse, era uma vitória para mim, um careca crônico.  Óbvio que todos riram, uns duvidando que eu era de fato o autor daquilo, outros porque sabiam que, se isso fosse verdade, a história não terminava ali.

Ninguém acreditou em mim
Ninguém acreditou em mim

Os últimos estavam certos.

*****

– Meu amor, vou levar a Filó para fazer xixi.  Na volta você quer alguma ajuda?

Esse é o tipo de pergunta que nunca é feita na esperança de ouvir um “não” porque o “não” é utópico, mas de evitar uma bronca muito pior do que a ausência dessa iniciativa pode provocar.

– Anda logo!  Se arruma e dá banho no Galoto enquanto eu termino de me arrumar e visto a Felícia!  A gente já está atrasado.  Já separei a roupa dele, está do lado do trocador!
– Ok.  Vou levar ele comigo na rua e, na volta, dou o banho.

Fomos passear – o segundo esporte favorito do Fergus, perdendo por vantagem infinitamente mínima para mamar.  Na volta, banho.  Depois do banho, o creme no corpo e… Ops!  Ao pressionar o tubo, uma gota generosa do creme pulou para o cabelo dele.

O topete era desse naipe
O topete era desse naipe

– Putz! – óbvio que o palavrão que eu falei foi muito pior do que esse, mas esse é um blog de família e eu não publicaria o original aqui.  Nem desse nem dos próximos eufemismos que seguirão.

Que droga!  Eu agora?  Já sei, vou tentar tirar com a mão e…  Caramba!  Ficou pior, espalhou tudo…  E se eu pegar um lenço e puxar?  Vamos ver, vai dar certo, vai dar certo…  Um topete?  É, um topete.  Ridículo mas melhor do que ter que dar banho de novo.

Anúncios

2 Comments

Add yours →

  1. Kkkkkk. Adorei a descrição detalhada do episódio. Me manda uma foto. Fiquei curiosa. Bjos

    Mandei.

  2. Esse é um episódio para ser contado para as namoradas, na presença dele, na adolescência.

    Talvez seja. Até lá espero ter outros melhores, protagonizados por ele.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: