A bola pune – episódio 2

O vídeo de hoje é do jogo entre o Molde, da Noruega, e o Dinamo de Zagreb, da Croácia, válido pela terceira rodada das eliminatórias para a Liga dos Campeões da UEFA 2015-2016.

No jogo de ida, na Croácia, os times haviam empatado em 1×1.  No jogo de volta, o empate em 0x0 classificaria o Molde, o empate em 1×1 levaria o jogo para prorrogação e pênaltis, e os empates a partir de 2×2 dariam a classificação ao Dinamo.  Obviamente, o time que vencesse, se classificaria.

Logo aos 6 minutos da etapa inicial, o atacante norueguês Ola Kamara, que havia feito o gol de empate no primeiro jogo, sofreu pênalti.  Colocou a bola na marca da cal, bateu e… Isolou!  A câmera não mostrou, mas a bola deve ter ido parar fora do estádio.  Tudo bem.  O 0x0 no placar ainda dava a classificação para o Molde, que jogava em casa, com apoio de sua torcida.  Mas, como diria Milton Leite, 0x0 era um placar perigoso e, como diriam todos os narradores de futebol, ainda havia muito jogo pela frente.

Dez minutos depois começou a avalanche croata na área do Molde.  Parecia “gol da Alemanha”.  Marko Pjaca, aos 16′, Arijan Ademi, aos 19′ e Marko Rog aos 22′ fizeram 3×0 para o time visitante.  Desespero nas gélidas arquibancadas de Molde.  Mas o time não desistiu.  Partiu para cima, tentando salvar ao menos a honra, já que o resto parecia perdido.  Aos 41′, Eztaz Hussain, liso como sabão, fez uma ótima jogada, arriscou do meio da rua e o goleirão do Dinamo, o português Eduardo Carvalho, aceitou.  A torcida comemorou cética, mas comemorou.  E eis que aos 46’15” a esperança voltou ao Molde: Eduardo Carvalho cometeu um pênalti infantil em Eirik Hestad.  Dessa vez quem colocou a bola na cal foi Harmeet Singh, apelidado de “Iniesta Norueguês”.  Correu, bateu e…  Perdeu – também.  O goleirão, redimindo-se das duas bobagens anteriores, pulou no canto e defendeu a bola.

Na volta do intervalo, o Dinamo tentou controlar as ações, mas o Molde partiu para cima e, depois de um bate-rebate pavoroso na área do Dinamo, o goleirão Eduardo Carvalho cometeu mais um pênalti, dessa vez em cima de Martin Linnes.  O relógio marcava apenas 5′.  O marroquino naturalizado norueguês Mohamed Elyounoussi cobrou e espantou o palermismo de Molde.  Esperança nas arquibancadas, que durou até os 26′, quando o zagueiro Vegard Forren foi expulso, deixando o Molde com um jogador a menos.  O Molde, porém, continuou atacando e foi premiado, três minutos depois, com Ola Kamara desencantando, finalmente, depois do cruzamento de Eirik Hestad.  A torcida comemorou e, se soubesse falar português, gritaria “Eu Acredito!” para empurrar o time rumo à espetacular virada.

Mas a bola pune.

O Molde não conseguiu sofrer mais pênaltis nem fazer mais gols, e foi eliminado da competição.  No vídeo, os gols da partida.

Anúncios

2 Comments

Add yours →

  1. Sugiro incluir (se ainda der e se você já não o tiver feito) Vasco x Palmeiras, pela final da Mercosul de 2000. Grato.

    Mas ali não teve um gol perdido do Palmeiras que pudesse definir o jogo. As três únicas chances do Palmeiras viraram gol. Não é uma série de viradas antológicas. É uma série de derrotas antológicas.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: