A bola pune – episódio 3

Hoje veremos o vídeo do jogo entre o Astana, do Cazaquistão, e o HJK Helsinki, da Finlândia, também válido pela terceira rodada das eliminatórias para a Liga dos Campeões da UEFA 2015-2016.

No jogo de ida, na Finlândia, os times haviam empatado em 0x0.  No jogo de volta, o empate em 0x0 levaria o jogo para prorrogação e pênaltis, e os empates com gols dariam a classificação aos finlandeses.  Obviamente, o time que vencesse, se classificaria.

Logo aos 3′ 1T, o atacante gambiano Ousman Jallow recebeu sozinho na entrada da área, chutou cruzado e abriu o placar para os finlandeses.  Aos 40′, foi a vez de Ousman Jallow servir o companheiro ganês Gideon Baah, depois de salvar uma bola praticamente perdida, ampliando a vantagem.  Estava tudo indo bem, até o goleiro sueco Daniel Örlund, mão de rolo, engolir um frango pavoroso, depois do chute despretensioso do atacante ganês Patrick Twumasi.  Com esse gol, a chama da esperança reacendeu, o Astana diminuiu o placar e foi para o vestiário precisando de dois gols para virar a partida e se classificar.

Na volta do intervalo, o Astana aprontou uma blitz para cima da defesa do Helsinki e o zagueiro finlandês Markus Heikkinen, capitão do time, tiagosilvou (expressão futebolística que significa meter inexplicavelmente a mão na bola dentro da própria área) aos 3′.  Pênalti bem marcado, que o colombiano Roger Cañas não perdoou: deu de bico no meio do gol.  Como o 2×2 não interessava ao Astana, o time continuou na pressão, até ter seu empenho coroado aos 10′: Dmitriy Shomko desceu pela esquerda, cruzou a bola e, sem querer querendo, acabou acertando ângulo.  Atire a primeira pedra quem nunca comemorou um gol assim e ainda disse, na entrevista após o jogo, que foi intencional.

Com 35′ mais acréscimos por jogar, nada estava definido.  O Helsinki sabia disso e resolveu voltar para o jogo.  Aos 25′, Patrick Twumasi (aquele do chute despretensioso do final do primeiro tempo) levou cartão vermelho direto, deixando o Astana com menos um jogador em campo.  A pressão do Helsinki aumentou, até que o time finlandês foi agraciado com um pênalti desnecessário que o finlandês Erfan Zeneli converteu, aos 40′.  O empate em 3×3 devolveu a classificação ao Helsinki, que jogava com um a mais.  Os técnicos se mexeram: o do Astana colocou mais um meia ofensivo em campo, o do Helsinki tirou um meia e colocou um zagueiro.

O que ele não lembrava era que… a bola pune.

O Astana jogava em casa, com o apoio da torcida e, mesmo com um a menos em campo, não tinha nada a perder.  Aos 46′, quase 47′, o Astana colocou sete jogadores na área do Helsinki para uma cobrança de escanteio.  Mais na raça e na vontade do que na técnica, o zagueirão russo Yevgeny Postnikov, no segundo pau, escorou uma bola que já havia sido desviada no primeiro pau para o fundo das redes do Helsinki – e saiu para o abraço sem nem saber direito como comemorar.

Com a vitória, o Astana se classificou para o play-off decisivo, onde bateu o APOEL de Nicosia, do Chipre, e se tornou o primeiro time do Cazaquistão a participar de uma fase de grupos de Liga dos Campeões da UEFA.

Anúncios

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: