A bola pune – episódio 6

Ainda em terras brasileiras, o vídeo de hoje é do jogo entre Náutico e Grêmio, válido pela última rodada do quadrangular final (a terceira fase) da Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro de 2005.

Dois jogos simultâneos decidiriam o destino das quatro equipes envolvidas naquele quadrangular.  Santa Cruz e Portuguesa se enfrentavam no Arruda; Náutico e Grêmio se enfrentavam nos Aflitos.  O Grêmio iniciou a rodada com nove pontos, o Santa Cruz com sete, o Náutico com seis e a Portuguesa com cinco.  Como a vitória valia três pontos e o empate um, todos tinham chance de conseguir uma das duas vagas que daria acesso à Primeira Divisão.  Ao Grêmio bastava o empate para se classificar e a vitória para ser campeão independentemente do resultado do outro jogo.  Ao Náutico, só a vitória interessava.

O Santa Cruz acabou vencendo a Portuguesa por 2×1 e garantiu sua vaga à elite, mas isso é outra história.

Enquanto isso, no Estádio dos Aflitos, o Náutico perdeu um pênalti aos 33′ 1T, cobrado na trave pelo experiente Bruno Carvalho (campeão sulamericano com a Seleção Brasileira em 1992, campeão da Copa São Paulo de Juniores com o Vasco em 1992 e campeão carioca, também com o Vasco, em 1994).  As equipes foram para os vestiários, no intervalo, com zero no placar.

Aos 26′ 2T, o lateral esquerdo do Grêmio Alejandro Escalona (que seria contratado pelo Náutico dois anos depois) foi expulso, deixando o Grêmio com um jogador a menos.  Aos 35′, novo pênalti assinalado para o Náutico, seguido de confusão em campo da qual resultaram expulsos dois jogadores do Grêmio: Nunes (que cometera o pênalti) e Patrício.  O jogo ficou interrompido por mais de 20 minutos por causa da confusão e não foi reiniciado antes que Domingos, também do Grêmio, fosse expulso.

Quando o jogo foi reiniciado, o Grêmio tinha sete jogadores em campo, o Náutico onze – e um pênalti a cobrar.  Ademar, zagueiro do Náutico, que alguns anos depois faria razoável sucesso no futebol búlgaro, se apresentou para fazer a cobrança.  O goleiro gremista, Galatto, atualmente no Juventude, defendeu, cedendo o escanteio.

E, como se diz aqui… a bola pune.

A partida terminou aproximadamente oito minutos depois do gol, sem que o Náutico conseguisse sequer empatá-la.  O Grêmio venceu a partida por 1×0, sagrou-se campeão brasileiro da segunda divisão e conseguiu o acesso à primeira divisão.  Com a derrota, o Náutico teve que amargar mais um ano na segunda divisão – pior: cedendo a vaga para o rival Santa Cruz.

A partida ganhou nome – “A Batalha dos Aflitos” -, e virou filme, que pode ser visto aqui.  O jogo completo pode ser visto aqui.  A súmula do jogo (original) pode ser vista aqui.

Anúncios

One Comment

Add yours →

  1. Esse filme é muito legal. A melhor parte é quando o Eduardo Bueno conta que estava dentro de um avião para Paris (o jogo deveria ter terminado antes do embarque, mas dadas as paralisações, não deu tempo). A comissária de bordo anunciou pelo comunicador interno que o jogo ainda não tinha acabado e o Grêmio tinha feito o gol e ele começou a rir desesperado, gritando “essa mulher enlouqueceu!” Pra piorar, ele só conseguiu confirmar o resultado depois de pousar em Paris. Imagina só o desespero?

    Eu não teria dormido.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: