Sobre a Catedral de Santiago de Compostela – parte 3

Há ainda algumas informações práticas que ainda não foram ditas aqui sobre a visita da Catedral.  Observe com atenção a imagem abaixo para entender melhor cada explicação:

  • A chegada do Caminho de Santiago de Compostela ocorre na Plaza de la Inmaculada.  No entanto, na prática, a porta do transepto norte (que dá justamente para a Plaza de la Inmaculada), funciona como saída da igreja.  Na minha visita madrugadora, após a minha peregrinação simbólica, consegui entrar por ali sem nenhuma dificuldade.  Mais tarde, com os seguranças já na atividade, até os peregrinos eram impedidos de adentrar por ali.
  • Com a Fachada Oeste em obras, a entrada de visitantes é realizada pelo braço sul do transepto, pela Puerta de Praterías.  Durante missas, as visitas puramente turísticas são contidas, mas as visitas religiosas (basta dizer ao segurança que você quer assistir a missa) são facilmente permitidas.
  • Não se paga para visitar a Catedral, em qualquer das suas dependências.  Paga-se apenas para visitar o museu (que, aliás, são museus) e o claustro.  Razoável.  O bilhete do museu é comprado na entrada da igreja primitiva (aquela portinha situada entre as escadas da Fachada Oeste que parece dar acesso ao subsolo da igreja).
  • Ali mesmo não há nada para ver, exceto o espaço que testemunha a existência de uma antiga e acanhadíssima capelinha que foi utilizada em tempos imemoriais para o culto ao Santo.  Um pouco mais para a direita, também na Plaza del Obradoiro, há outra porta que dá acesso ao restante do museu e ao claustro.  Prepare-se para subir escadas…  Ali estão a recriação do antigo coro (que ficava no centro da igreja) e outras peças antiquíssimas; há tapeçarias, obras de arte sacra, vestimentas sacerdotais…  Na minha opinião, duas coisas chamam muito a atenção e fazem a visita valer a pena: a primeira delas é poder passear na varanda que dá para a Plaza del Obradoiro e ter uma vista incrível de lá; a outra é a Capela das Relíquias, também chamada de Panteão Real – aqui vale uma pausa para respirar fundo, porque ela é de perder o fôlego.
  • Ali há uma coleção enorme de relíquias (como são chamados os fragmentos de restos mortais de santos) armazenada em relicários (com o perdão da tautologia) alocados em um retábulo gigantesco, que depois eu vim a descobrir que foi construído por volta de 1920 com o patrocínio dos emigrantes galegos de Cuba (!).  Na Capela das Relíquias também está o Panteão Real, constituído por diversas sepulturas da coroa de Leão (um dos reinos ibéricos que deu origem à atual Espanha): Fernando II, Berengária de Barcelona, Afonso IX, Raimundo de Borgonha e Joana de Castro (segunda esposa de Pedro I de Castela) estão ali.  É um negócio bastante impressionante.
  • Também há acesso do/ao museu pela Catedral, através de uma porta na lateral da nave.
  • Há ainda uma terceira parte do museu, situado no interior do Palacio Arzobispal, que eu não cheguei a visitar porque simplesmente esqueci de ir lá, tão estonteado que eu estava – e pressionado pela hora do check out do hotel.
  • Dentro da igreja, o que mais me impressionou foi o teto da Capilla de Mondragón, também conhecida como Capela da Piedade ou da Santa Cruz.  O nome deriva do seu mecenas, o Cônego Juan Ibáñez de Mondragón.  A riqueza infinita dos relevos em terracota é indescritível.  Eu ficaria horas sentado ali observando cada detalhe com binóculos se eu pudesse.
  • Outra entrada/saída da igreja é pela lojinha.  A porta interna está localizada muito próxima à entrada do braço sul do transepto (a Puerta de Praterías); a porta externa dá para a Plaza de Quintana.  Vale a pena circular por ali e ver a variedade (de tipo, gostos, tamanhos e preços) de lembranças disponíveis para o visitante e o peregrino.  Mas, já disse e repito, é possível encontrar muitos daqueles itens em lojinhas ao redor da Catedral em preços melhores; no entanto, acho que o valor cobrado a mais ali vale a autenticidade.
Anúncios

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: