Dicas práticas para um bate-volta a Santiago de Compostela

Muita gente fica interessada em saber se é possível fazer um bate-volta a Santiago a partir do Porto.  Respondo que, sem sombra de dúvidas, é possível.  Saindo bem cedo (são 2h30 de viagem, aproximadamente) para aproveitar bem o dia, e com disposição para voltar tarde, dá para fazer bastante coisa, principalmente se o bate-volta for realizado de carro.

E se o assunto é ir de carro, saiba que é altamente recomendável o uso de GPS para se guiar pelas estradas.  As placas indicando ESPANHA, em Portugal, só começam a aparecer a partir de Ponte de Lima.  As placas de SANTIAGO, na Espanha, só começam a aparecer a partir de Pontevedra.  Além disso, a passagem por Vigo (que está em obras visando a ampliação da capacidade da rodovia) é bem complicadinha e errar ali pode custar um bocado de tempo.

As estradas do lado português são impecáveis; merecem nota dez com muito louvor.  Do lado espanhol, há trechos apenas ótimos (como o situado nos quilômetros mais próximos à fronteira com Portugal) e outros excelentes.

Em ambos os lados, a rodovia é pedagiada.  Pelas alternativas que eu busquei evitando o pagamento de pedágio, estou firmemente convicto de que vale muito a pena pagar o pedágio (o trajeto de 240km a serem feitos em aproximadamente 2h30 sobe para 255km a serem percorridos em mais de 4h).

Além disso, quem vai de carro também precisa saber que todo o centro histórico de Santiago é uma Zona de Tráfego Limitado, ou seja, com acesso restrito a pedestres e carros de serviço (lá eles chamam de Zona Peatonal).  Essa área inclui a Plaza del Obradoiro e toda a cidade situada a leste da Catedral de Santiago de Compostela.  Portanto, é preciso deixar o carro em um dos estacionamentos públicos construídos nas imediações da cidade e atacá-la a pé.

Há basicamente dois estacionamentos muito próximos à Catedral: um a norte e outro a sul.  O que fica situado a sul da Catedral é o mais próximo (ele se chama San Clemente, devido ao nome da rua que lhe dá acesso).  Embora ele se declare estar a 75m de distância da Catedral, o GoogleMaps calcula essa distância em cerca de 230m.  Não é um absurdo de distância mas é um absurdo de diferença.  O problema desse estacionamento é que dali até a Catedral o trajeto é uma subida razoável.  O estacionamento que fica situado a norte é um pouquinho mais distante (chamado Xoán XXIII, também devido ao nome da avenida que lhe dá acesso – a imagem abaixo é da sua entrada): 350m, medidos no GoogleMaps; seu acesso, no entanto, é praticamente plano, bem mais confortável de ser seguido tanto para ir quanto para voltar.  Foi nele que eu deixei o carro pagando, pelo período de 24h, o valor de 10,61€ (pagam-se valores menores por estadias menores, conforme a tabela – que está vigente desde 2014).  O pagamento é feito exclusivamente em máquinas de autoatendimento que dão troco mas aceitam apenas notas de até 20€.

Jamais caia na tentação de estacionar no estacionamento chamado La Catedral.  Ao contrário do que o seu nome sugere, ele é o mais distante da Catedral: fica a mais de 500m da Plaza do Obradoiro (para o oeste, ladeira abaixo).  Se você estacionar ali, não só vai andar mais até a Catedral, como vai subir muita ladeira.

Anúncios

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: