Um causo em Braga

Assim que saí do carro comecei a sentir o tênis incomodar o calcanhar.  Tênis velho, já bastante rodado, ele havia sido escolhido para a viagem pelo conforto que proporcionava.  O tempo, no entanto, começava a pesar sobre os meus calcanhares, literalmente falando.  Uma peça plástica, no pé direito, havia gasto o revestimento interno e começava a roçar na parte de trás do pé, naquele ponto que os sapatos femininos apertam.  Como a meia era de cano baixo, o contato da tal peça de plástico com a pele era direto.  Eu queria um band-aid ou um chinelo, mas a Fiona recomendou comprar uma meia nova.

Há em Portugal – em todo canto – uma franquia de lojas de meias chamada Pedemeia.  Na Rua do Souto havia uma e entramos para resolver o meu problema.  Achei que era uma grife, até porque o logotipo inspira algo refinado, mas vi que eram apenas meias de boa qualidade a preços convidativos, uma equação para lá de interessante.  Fiona se interessou em comprar meias coloridas para ela.  Eu logo perguntei pela meia mais quente que havia disponível na loja, pensando em dar um presente para o meu pai, fã inveterado de meias para dormir.

– Qual é a meia mais quente que você tem?, perguntei. A moça que nos atendeu não apenas respondeu como também entregou:
– São meias de lã, mas eu não compraria porque um par custa dez euros, e eu acho um absurdo pagar dez euros num par de meias.

Eu fiz aquela cara de poodle com dúvida, porque simplesmente não acreditava em tamanha sinceridade. Ela percebeu que eu não havia entendido e, com ar de quem achava (talvez porque achasse que o problema era mesmo esse) que o problema fosse sua dicção, ela repetiu pausadamente:

– Essas meias de lã são muito caras. Elas custam dez euros. E são realmente muito quentes, você só vai conseguir usá-las em locais realmente muito frios, com temperaturas negativas. Eu mesmo não as compraria para mim. Veja, eu tenho essas aqui, que também são muito quentes, não tanto quanto essas de lã, mas para você, do Brasil, já serão suficientes e estão em promoção: duas por sete euros. Que tal?

Diante de tamanha boa-fé, acabei comprando-as de presente para o meu pai.  E comprei também o meu par e os pares coloridos da Fiona.

Anúncios

One Comment

Add yours →

  1. Em primeiro lugar, eu concordo totalmente que pagar 10 euros por um par de meias é um absurdo. Em segundo lugar, esse sincericídio só existe em Portugal. Em terceiro lugar, dado o calor que está fazendo hoje, cheguei a suar com a descrição das meias de lã.

    Era um absurdo de quente. Só de olhar eu também fiquei meio bolado. Tipo da coisa que só se deve usar em temperaturas negativas.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: