Santuários Bracarenses

Desde a Reconquista cristã, Portugal é uma nação predominantemente católica – antes dela, era predominantemente islâmica.  Nunca perdeu traços das religiões que ali se fizeram presentes, mas o catolicismo é a religião de mais da metade da população portuguesa.  Os mais novos não são tão apegados a esse traço da personalidade coletiva; os mais antigos ainda são.  E muito dos monumentos portugueses também é composto por esse aspecto religioso.  Conhecer Portugal sem entrar em uma igreja sequer é algo praticamente impensável.

Em Braga, a cidade portuguesa mais importante do ponto de vista da cristandade, além da sua Sé famosa e de várias outras igrejas, há três ermidas situadas na cadeia montanhosa que cerca o lado sudeste da cidade.

A primeira delas, acanhada e nada famosa, é a Ermida de Santa Maria Madalena, situada a sudeste da cidade e também conhecida como Igreja da Falperra.  Nunca a conheci, nada posso dizer a seu respeito.

A segunda é o Santuário do Sameiro (ou Santuário de Nossa Senhora do Sameiro), cuja igreja, em estilo neoclássico é o seu principal expoente.  O local é bastante modernoso, apto a receber visitantes em massa (é considerado o terceiro local de devoção mariano mais importante do país) e não considero que haja nenhuma perspectiva turística exceto a de fundo religioso ali.

O terceiro é o Santuário de Bom Jesus do Monte, esse sim uma preciosidade – e tema do vídeo de hoje.  Não o visitei nesta viagem, devido à restrição do roteiro de abarcar locais religiosos, mas conheci-o há quinze anos.  A igreja importa menos que a escadaria, que lembra muito o Monumento de Congonhas do Campo, em Minas Gerais.  Escadas sobem em zigue-zague num trabalho tanto de catequese do peregrino quanto de conversão: uma via sacra completa, com uma estação em cada patamar da escada; depois alusões aos cinco sentidos; depois as três virtudes.  Tudo repleto de obras de arte de estilo barroco, muito interessante.

Para quem não tem interesse religioso, mas científico, o que vale é subir pelo funicular que transita ao lado da escadaria.  É o plano inclinado mais antigo do mundo ainda em funcionamento que não depende de energia elétrica ou motor a explosão para funcionar.

E, para quem realmente tem muita preguiça ou dificuldade extrema de locomoção, é possível chegar de carro até lá em cima.  Mas o legal mesmo é subir de escada ou de funicular.

Anúncios

One Comment

Add yours →

  1. O único “Santuário Bracarense” que eu conheço fica no Leblon.

    Nesse, por incrível que pareça, eu nunca fui.

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: