Óbidos – parte 5

Além das igrejas, das muralhas, do Castelo (que hoje é um hotel), da ginja e da sua porta de entrada, Óbidos só tem mais um museu de arte sacra e… acho que mais nada.  Se isso tudo despertou seu interesse, então está na hora de ver como visitar a cidade.

Óbidos fica a 1h de Lisboa (cerca de 85km).  A viagem é tranquila e executada quase toda na A8, uma rodovia de alta velocidade e pavimentação excelente.  Paga-se pedágio por isso mas, acredite, vale a pena.  Nem pense em fazer o trajeto de trem (nem mesmo o site da Vila de Óbidos recomenda).  É muito melhor optar pelo ônibus (lá chamado de “autocarro”), que tem frequências boas, preço acessível (menos de 8€ por perna da viagem) e uma única parada em Bombarral.

Em Óbidos, o estacionamento é farto e pago (mas barato).  Na verdade, há três bolsões de estacionamento.  Dois deles têm piso de terra batida e se situam mais afastados do centro histórico.  Um, mais ao norte, tem pinta de ser gratuito, mas eu percebi uma situação de cobrança informal tão discreta quanto improvisada, meio que “eu tomo conta então paga para mim”.  O segundo, mais ao sul, está localizado aos pés dos arcos do Aqueduto da Usseira.  O terceiro, mais próximo da Porta de Nossa Senhora da Piedade (e, portanto, do centro histórico), é o mais movimentado, conveniente e é pago.  Ali, uma mulher com liderança militar e muito jogo de cintura comanda tudo, desde as vagas onde o visitante deve estacionar até a troca de notas por moedas para viabilizar o pagamento.  Vale a pena gastar cinco minutos conferindo a sua atuação.

Um bom passeio em Óbidos não leva mais que uma manhã ou uma tarde.  Se você deseja apenas uma visita, não é necessário passar o dia todo.  Se a intenção é fazer o passeio completo pelo adarve das muralhas, entrar em todas as lojinhas, museus e igrejas com calma, é melhor reservar um dia inteiro.  Mais que isso – e eu acho que vale a pena pensar em fazer mais que isso um dia -, reserve uma noite para pernoitar no Castelo de Óbidos.  Acredito que seja uma experiência interessante, tanto por passar uma noite num castelo quanto por ver a cidade iluminada (e livre das hordas de turistas).

Se a intenção é mesmo passar só meio período, pense em combinar o passeio com outra cidade, principalmente se estiver de carro.  As melhores alternativas são Caldas da Rainha (15min de distância), Nazaré (30min), Peniche (30min), Mafra (40min), Santarém (40min) ou até Sintra, como eu fiz.  Note, no entanto, que em alguns desses locais, como Sintra e Peniche (se inlcuir o passeio às Berlengas), meio dia não é suficiente para ver tudo.

Anúncios

Você quer comentar? Clique aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: